AS CENTRALIDADES DA HUMILHAÇÃO

Image

Caros leitores.

Como ja é sabido por todos, a compra de casas nas novas centralidades está longe de ser um mar de rosas, pacífica e tranquila. Ao contrario, há que se fazer das tripas coração para se conseguir colocar o nome entre os inscritos.

Vou partilhar um e-mail que recebi, de uma colega de trabalho, com um depoimento de quem viu in loco a situação constrangedora que se vive na centralidade do Kilamba.

Eis o depoimento:

“Querem saber o que se passa na ” centralidade do Kilamba”?

Pois bem, o Manuel Fragao foi lá espreitar, e relata de uma forma simples, mas magistral, o que apreciou nas ” partes envolvidas, envolventes, e demais obscuros envolvimentos “.

RECOMENDAÇÃO; que cada RESPONSÁVEL nas diversas áreas intervenientes (Vice-Presidente, Manuel Vicente, /Edeltrudes Costa,/ Bento Bento e outros membros do Executivo) e claro os “membros da administração da Sonangol e da Sonip” , e a tal ” Delta” , tudo sem mencionar nomes, que aquilo é mesmo a granel e conforme o gosto e a disposição ( de interesses) , se RECOMENDAVA vivamente que reflectissem , ou mandassem reflectir pelos hostes menores dos seus respectivos gabinetes , todo esta descarrilada ” operação imobiliária, para evitar semelhantes atropelos no futuro.

Como se fora um “Relatório Oficial” de um Fiscal da Nação, com a vénia passo a citar o Manuel Fragão:

“SONIP & DELTA VS POVO = HUMILHAÇÃO

Tive o desprazer de fazer o périplo pela centralidade do Kilamba durante dois dias e constatei o seguinte:

OS FUNCIONÁRIOS

Cada agência da delta imobiliária (agora são 3) se propõe a atender 400 pessoas por dia mas na pratica atende pouco menos de 200, presume-se que os outros 200 sejam atendimentos fantasmas, visto que existe uma clara certeza da cobrança de 500 usd para entrega dos documentos.

O negocio ficou tão lucrativo que tem jovens que pernoitam pelo Kilamba transformandos em STAFF (organização) que depois cobram o mesmo valor por cada ficha, se revezando e colocando nomes de pessoas que nem sequer se encontram no local para assegurar outros lugares. A rede estendeu-se até as bombas de combustível próximas e pelo Kero aonde abordam o povo faminto pelas bichas (filas) e pelos dias passados a dormir no chão.

Naturalmente que o pessoal de asseguramento da policia nao haveria de ficar de fora deste quinhão, afinal isso é Angola e todo mundo se vira como pode, pra eles o preço ronda entre 200 a 400 usd, seja o interessado policia ou nao.

MILITARES & POLICIAS

Foram feitas filas diferentes devido às galhetas que ocorreram entre os homens da farda, MININT de um lado, FAA do outro, devido ao status da situação os oficiais superiores dos dois lados também deram o ar da sua graça e sendo priorizados pelos oficiais subalternos que mais tarde se revoltaram porque parece que os tais ligavam aos outros e a fila dos reles subalternos nao andava.

Começaram as faltas de respeito aos oficiais superiores e com ordem de que nenhum mais por ali passaria, facto este que obrigou os oficiais superiores a fazerem uma fila defronte ao edifício da Delta.

A ementa tinha de tudo, de subcomissarios, brigadeiros e até deputado, só nao vi nenhum general ou comissário, mas nos zunzuns do povo ficou a questão: esses nao têm casa? Será o problema do nossos dirigentes (MEGALOMANIA) Será para os filhos? será para as miúdas? Ou será apenas casa de abate ( estar por lá com miúdas evita alguns gastos e constrangimento­s de hotéis). Os Militares e os policias reclamavam, na hora do problema somos sempre os primeiros na linha da frente…. Cabaz bom é pra eles, carro é pra eles, nem casa temos direito e também temos que lhes dar prioridade, merd… pra isso, TAMBEM QUEREMOS CASA. Notei que o barril de polvora por aqueles lados estava aceso, afinal os caras tinham razão.

O POVO

Como a SONIP e a DELTA marimbaram-se para o povo, este por sua vez tinha que se articular mediante listas, cuja presença devia ser às 16h, as 20h, as 0h, e as 4h da manhã, caso faltasse a umas das chamadas o seu nome que estava nos números 50, rapidamente se transformava em 2182. Notei que até uma pagina no facebook foi criada para actualização dos nomes, o desespero era tanto que as pessoas tentavam a todo custo se organizar diante da displicência da SONIP & DELTA.

Mulheres ficam dias sem tomar banho porque o regresso a casa com o nosso trânsito e as tais actualizações das listas nao perdoam. Vi mulheres sujas, sem rimel, sem baton, apenas com ramela e o desvio da baba pelo rosto, vi a forma como o povo foi deixado a sua sorte, pois nao acredito que nos super cérebros dos técnicos e Directores SONIP ninguém tenha pensado numa forma de inscrição que evitasse o caos que agora se verifica.

OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS.

Não entendi porque raios, os ministérios, serviços ou caixas sociais estão inertes diante da situação, pois a emissão de um oficio com os documentos dos interessados diminuiria muito a vergonha que agora se verifica e aparentaria que os serviços estavam preocupados com o bem estar dos funcionários afinal dar jajão tem as suas vantagens, mas infelizmente nem isso conseguiram fazer, a produção da cidade baixou porque todo mudo marimbou-se para os chefes e para os serviços pois o sonho da casa própria pode ser adiado sine die.

CARICATO

Um indivíduo dormindo no chão desperta as 2h da manha e entra em pânico, diante do tantos corpos inertes ele pensa que todos estão mortos e ele é o único sobrevivente, instala-se o pânico… Estou aonde (esqueceu que dormiu no chão duro da nova centralidade) Todos morreram e eu sou o único que estou vivo, socorroooo as pessoas acordaram e o indivíduo levou pouco menos de um minuto para ser acalmado e voltar a realidade dura onde estava….

Devido a prioridade que estava a ser dada aos deficientes, e doentes, alguns foram buscar os pais doentes em casa, os primos, os vizinhos ( o objectivo era entrar, pois o processo nao precisa ser personalizado),­ soube que alguns deficientes estavam a cobrar também para tal desiderato, afinal o sistema articula-se por si. Senhoras que levaram as crianças para alegada prioridade, mas encontraram um batalhão de cérebros que pensaram o mesmo tendo que fazer uma fila igualmente enorme pra elas com as gravidas incluídas.

Notei que o povo foi levado ao limite da humilhação e que provavelmente ninguém esquecera as vicissitudes que passou para conseguir tais imóveis e que a seu tempo respondera a isso. O Kilamba transformou-se no novo ponto de encontro, vi amigos de longa data que nos chamam por aqueles nomes que nunca mais ouvimos, vi colegas de faculdade alguns transformados em magistrados mas na mesma luta, vi a realidade da nossa vida que tem estado escondida dentro de casa (arrendada), vi o espirito ser torcido, o orgulho fugiu, a vergonha afastou-se, a vaidade esgueirou-se, a arrogância nem foi pra lá, vi força, vi perseverança, vi oportunismo, vi conquistas, vi sorrisos na dificuldade, EU VI O POVO A SOFRER.”- Fim de citação.

( CC: cópia para Membros do Executivo/Casa Civil/­Administração Sonangol/ SINIP-Delta/­Redacção ” Jornal de Angola”/ Comando das Forças de Segurança Pública/Forças Armadas/ POVO EM GERAL ).

—-

Este depoimento é conclusivo o suficiente, para se ter noção de como esta a se realizar a venda de casas. Refletindo um pouco, bem, como absorvendo o que foi dito a respeito do assunto, escrevi umas poucas linhas que podem ser pertinentes.

Porque não se implementaram formas alternativas de inscrição? Não seria possível ter-se criado um departamento no ministério da habitação, na propria Sonangol, para os seus funcionarios, ou algo semelhante?

Inscrições pela internet seria outra boa opção. Alias, la fora, sempre que acontecem este tipo de “eventos” de abrangencia nacional, se criam serviços online, sejam sites, paginas ou portais. Aqui, “népias”.

Os funcionarios da sonangol nem sequer tiveram um departamento nos seus estabelecimentos, ou um atendimento em separado, apesar de as casas serem vendidas por esta mesma empresa.

Nem mesmo os já inscritos no quase extinto projeto cajueiro, e que estão a pagar a cota desde 2000, tiveram qualquer atendimento preferencial ou prioritario.

O mais importante para o triaangulo Delta-Sonip-Executivo, parace ser mesmo os cifrões a serem pagos pelas casas. Isto porque os inscritos tem apenas conco dias para entregar o montante correspondente, que pode abranger somente a renda de um ano, ou acrescido do capital iniciala. Estes valores podem passar os 20 mil dolares, dependendo do tipo de casa.

Mais uma vez, o pais mostrou que avança ao pé cochinho! Não se consegue criar ou organizar ada que seja um exito; tirando claro está, comícios, festas e afins. Ai, tudo sempre corre maravilhosamente bem, ninguem fica sem pincho e muito menos sem cuca!

Não se vê (pelo menos eu não me apercebi) nenhumplano alternativo para contornar esta situação lastimavel. O governo teria a obrigação de intervir, não só criando um plano alternativo, mas também pondo cobro aos esquemas de currupção e punindo os aproveitadores que sempre aparecem neste tipo de ocasioes.

Assim, parece que o executivo apenas faz as coisas para “ingles ver”, para mostrar na TPA e no JA, que está a resolver os problemas do povo, para nos despachar e para se livrar de qualquer maneira dos problemas pendentes do país. Verdade seja dita, nós, o povo nada fazemos para granjear o respeito e a consideração do tal do executivo.

Anúncios

~ por Havemos de Voltar em Fevereiro 22, 2013.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: