Convocada Nova Manifestação em Luanda

O Luaty Beirão, vulgo Brigadeiro Matafrakuxs, Ikonoklasta, entre outros nomes que vocês amantes do hip-hop angolano conhecem, e mais seis pessoas, acabam de mandar uma carta para o Governo Provincial de Luanda ao fim de fazerem uma manifestação, desta vez com pés, tronco e cabeça, no dia 2 de Abril na Praça da Independência para reinvidicar o nosso direito à liberdade de expressão. Segue na íntegra a convocatória, e o link onde podem conferir a carta que mandaram para o GPL:

MANIFESTAÇÃO PELA LIBERDADE DE EXPRESSÃO EM ANGOLA
Data: Sábado, 2 de Abril de 2011 Hora: 13:00
Local: Praça da Independência (Luanda)

Quando 17 pessoas são detidas por se tentarem manifestar pacificamente numa praça pública…

Quando há jornalistas entre os detidos…

Quando o próprio Sindicato dos Jornalistas Angolanos chama à atenção para como os meios de comunicação social vêem a sua actividade altamente condicionada pelo poder, quando idealmente esta deve ser objectiva e independente…

Quando até mesmo organizações internacionais chamam à atenção para a repressão que existe em Angola…

Quando, num país, discordar do regime e dizê-lo publicamente é sinónimo de ter telefones à escuta, contar com a nada discreta presença dos SINFOS no dia-a-dia e ser altamente pressionado por todos à nossa volta…

Quando a auto-censura impera entre os angolanos, que continuam a reclamar baixinho com medo de sofrer represálias…

Quando se dá deste cenário, com provas claras de violação da liberdade de expressão, não podemos de maneira nenhuma afirmar que há democracia. E, por vezes, esquecêmo-nos do porquê de exigirmos democracia para um país.

Um sistema democrático garante a legitimidade do poder dos políticos eleitos pelo povo. Uma democracia favorece, portanto, a participação de todos os cidadãos nas decisões que afectam a vida da população, havendo uma maior distribuição da responsabilidade de cada um naquilo que é a gestão do bem comum e da vida pública. Numa democracia criam-se condições para que haja mais justiça social e económica, mais horizontalidade e menos despotismo, salvaguardando-se, deste modo, a dignidade do ser humano. É por isso que queremos uma democracia em Angola, não nos esqueçamos.

Mas uma das condições indispensáveis para que uma democracia vingue é a liberdade de expressão. Só se há liberdade de expressão há livre escolha e auto-determinação das pessoas. Só assim o voto tem sentido. Caso contrário, é meramente figurativo. O debate desaparece quando não há liberdade e sem debate de ideias não se avança – o poder concentra-se nas mãos de poucos e prevalece a injustiça, a violêcia e o medo.

Em Angola é difícil quebrar essa dinâmica viciada do “fala-baixinho” e do “cuidado com a boca”. Vivemos num contexto onde nos habituámos a não expressar livremente a nossa opinião porque, como é natural e bastante compreensível, não queremos correr o risco de perder o trabalho ou sofrer qualquer tipo de represália maior, seja sobre nós, seja sobre os nossos. Por isso, qualquer um que se posicione claramente contra o governo ou contra o presidente da república chega mesmo a ser considerado insensato e irresponsável. Este é o ponto a que chegámos há muitos anos, não é de agora. Infelizmente, grande parte dessa geração que libertou o país do colonialismo em 75, hoje tem uma atitude repressiva e reprovadora face qualquer acto de discórdia por parte da juventude.

No entanto, a História, tanto a distante como a bem recente, conta-nos que quando a mobilização é realmente forte e um grande número de pessoas se une por uma causa, então consegue-se mudar o rumo dos acontecimentos. Temos que ter isso em mente.

Dia 2 de Abril vamos sair à rua para exigir liberdade de expressão no nosso país. Motivos não nos faltam e qualquer angolano é consciente desse facto. Por isso, apoiar esta manifestação se torna tão indispensável. Chegou a hora de tirarmos esse peso da consciência e finalmente passar à acção. Além do mais, esta manifestação pacífica e apartidária está de acordo com a lei, já que foi devidamente comunicada ao Governo Provincial de Luanda no dia 24 de Março, como pode ser visto no documento abaixo. De acordo com a lei 16/91, o GPL teria 24 horas para proibí-la mediante uma justificação por escrito, caso contrário está automaticamente legalizada.

Aos governantes que estarão tentados a proibir esta manifestação, alertamos que proibí-la ou tentar dissuadir através do medo, como aconteceu no passado dia 7 de Março, dá automaticamente razão aos manifestantes. Portanto, não seria inteligente tomar tal atitude.

DEIXEM que o debate seja livre em Angola. DEIXEM que as pessoas pensem pelas suas cabeças, sem manipulação. DEIXEM que discutam entre elas em busca de melhores soluções para o nosso país. DEIXEM de ameaçar pois assim só revelam fraqueza. Esforcem-se antes por merecer estar no poder e honrem a vossa função.

Nós, sociedade civil, queremos ter voz. Queremos ter voz e ser ouvidos. Queremos fazer parte do debate político e opinar sobre o futuro da nação simplesmente porque nos diz respeito. O que vocês decidem é a nossa vida e muitos estamos descontentes e insatisfeitos. Exigimos liberdade de expressão em Angola, especialmente quando se avizinham eleições no nosso país e queremos poder decidir livremente o nosso destino e consolidar a nossa democracia.

Por isso, convocamos esta manifestação absolutamente pacífica e apartidária. Para aqueles que vão tentar confundir as pessoas, que fique claro que não há nenhum fantasma detrás desta convocatória. Somos nós, angolanos e angolanas preocupados com o nosso país, a querer sair à rua para pedir liberdade.

A Central 7311

http://centralangola7311.net/2011/03/26/sobram-motivos/

Anúncios

~ por Havemos de Voltar em Março 26, 2011.

6 Respostas to “Convocada Nova Manifestação em Luanda”

  1. Agora as coisas estão a ser feitas como se devem e não há qualquer forma das nossas autoridades boicotarem o acto alegando desordem e destabilização da ordem social ou atentado a paz, uma vez que todos os preceitos para realização deste tipo de manifestações sociais foram cumpridas.

    • MANIFESTAÇAO CONTRA ASSIMETRIA NACIONAL

      Manifestação pacífica para o dia 25 de Junho de 2011 no largo 1º de Maio pelas 10h00

      Angola é de Cabinda ao Cunene e de mar a leste. É indivisível, estado soberano com um governo eleito pelo povo e com uma constituição que consagra direitos e deveres iguais para todos os angolanos.
      No entanto a realidade é diferente, Existe um país dentro desta Angola que presidente da Republica disse num dos seus discursos que: … os angolanos vão se orgulhar de ter uma cidade cosmopolita. As províncias também vão continuar a receber verbas. O presidente só se preocupa com Luanda, fica cerca de 20 anos se visitar uma província. Promete coisas para o resto do país e só se faz em Luanda. As 1.000.000 de casas só serão para Luanda porque, em qualquer outra província se está a construir casas. As casas da juventude que prometeu para todo país não existem. O desporto só se faz em Luanda, só as equipas de Luanda tem títulos porque existe concorrência desleal. Tomam-se medidas que visam beneficiar Luanda e prejudicam o resto do pais, com é caso da proibição da entrada de viaturas de ocasião (não províncias não há engarrafamentos). Logo, os angolanos do resto do país são convidados a participar em uma Manifestação pacífica para o dia 25 de Junho no largo 1º de Maio pelas 10h00, onde faremos as seguintes exigências:
      1-Queremos projectos habitacionais como o Projecto Nova Vida e Zangos em todas as províncias.
      2-Queremos casas da Juventude em todo país.
      3-Que os pólos industriais prometidos para as províncias estejam prontos antes das restantes fabricas da ZEE (Luanda-Bengo).
      4-Que o presidente passe a visitar as províncias e fixar-se nelas por períodos de até uma semana.
      5-Que exista um premio nacional para os jornalistas das províncias.
      6-Que o prémio do vencedor do carnaval das províncias seja, pelo menos ½ em relação a Luanda.
      7-Que o estado, através das suas empresas, como a Sonangol, patrocinem equipas em todas as províncias com um orçamento de ½ ao que é dado as equipas de Luanda (APL).
      8-construçao de estádios de futebol (como do Inter de Angola) para as províncias que não acolheram o Can.
      9-Projectos de construção de barragem para fornecimento de energia para o Moxico e Kuando Kubango.
      10-Extensao da rádio eclésia para todo país.
      11-Permitir a entrada de viaturas de ocasião para as províncias.
      12-Descentralizaçao dos serviços de viação e transito e conservatória de registo de automóveis.
      13-Exigir ao partido MPLA que os primeiros secretários províncias não sejam os governador a semelhança de Luanda.
      14-Requalificaçao dos municípios das nossas províncias (tal com se esta fazer com o Cazenga).
      15-A semelhança do que aconteceu com os moradores do prédio da Cuca, realojar condignamente os moradores do prédio do Palmeira na cidade do Huambo.
      16-Realojar condignamente os habitantes da chavola na Huíla.

      Apelamos a todos malanjihos, hjuambensses, benguelenses, huilenses, uigenses, zairenses, cabindenses, etc a participarem nesta manifestação para o bem das nossas província que tanto amamos.

  2. Isso sim é que é uma manifestação com cabeça, tronco e membros. Até gostaria de estar em Angola pra presenciar isso. Já ninguém pode dizer irónicamente que a polícia não está preprada pra manifestação pq não se fez convocatória nem1, eles não ouviram nda e que não era motivo de preocupação.

  3. Havemos de Voltar com força.

  4. o mais inportante e que existem angolanos cansados da opressao e nao cansados de protestar, vamos sim mudar o curso deste pais que esta nas maos erradas. agora na paz podemos ver o que esta certo e o que esta errado meus amigos TEM QUE HAVER MUDANCA

  5. infelizmente, um dos preços que temos que pagar pela nossa jornada atras de melhorias fora do nosso pais é precisamente este: estar ausente em ocasioes como estas, onde novas paginas sao adicionadas a este livro chamado historia.
    queria congratular o povo angolano pelo sucesso q foi esta manifestaçao. independentemente dos meus ideais, acredito q as pessoas têm o direito de exprimir as usas opinioes livremente e iniciativas destas, mesmo que nao preçam, é q desenham o rumo da historia. parabens angola!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: