A vida não é um jipe!

Vivas pessoal! Já há uns dias não entrava no blog, agora venho cá com um post, ké é mais um desabafo sobre a mentalidade dos mangurras, mesmo aqueles que já deviam pensar diferente, e pensar grande!

Tenho tido debates com alguns amigos, e infelizmente me apercebo de que ha uma ideia generalizada de que só quem vive no gueto, no catambor, ou no rocha pinto, ou passa sérias dificuldades é que sofre, ou que pode discutir e reclamar dos problemas de angola. Quem vive na cidade, na maianga, no bairro azul, quem estuda fora, , segundo estes, não conhece a realidade do país e não pode falar sobre os problemas. (até porque se estuda fora, esta a ser beneficiado pelo M)

Infelizmente ouvi essa opinião por parte de alguns amigos meus, e fiquei posso dizer, chocado!

Mas felizmente não oico só esse tipo de comentário. Segundo o meu colega Gilson (aguardo também  a tua contribuição  nesse blog) muitas vezes a diferença entre a pessoa que anda no starlet e a que anda no VX é so que a so segundo, tem AC no carro, e uns bancos um pouco mais confortáveis, porque mesmo que o VX ande a 260, vai andar aonde, se não existem estradas? Também enfrenta o mesmo engarrafamento, e como diz o yanick, se te der um ataque, inda morres no caminho. Realmente, só transpira menos, por causa do AC.

E de facto, não se pode falar que todos sentimos os problemas da mesma forma. Mesmo que você já tenha outro nível de vida, como se diz, o dinheiro resolve muita coisa…. porém, só o facto so o facto da tua namorada, ou o teu amigo do peito, não conseguir entrar na facul, porque na Agostinho Neto, como dizem as más línguas, a nossa querida primeira damucha (a mesma que batucou nas pernas, no 4-4 com o Mali) ocupa metade das vagas, e as restantes, também é necessário com esquemas, já é motivo suficiente para te baixar o astral, te fazer maldizer a vida, e expor esses sentimentos negativos por escrito!

Mas agora pensemos um bocado. Todo mundo de facto, (quase todo mundo) de uma maneira ou de outra é afectado pelo sistema.

Nós já que estudamos fora, que usufruímos de um ensino de qualidade, aprendemos ferramentas inovadoras nos mais variados cursos, amanha, em angola a trabalhar, vamos poder aplicar, ou implementar tudo o que aprendemos? Se a música do phay grande é mesmo verdade, ( vamos ver entre o feitiço e o estudo, quem tem mais força), isso não é já um sério problema que estamos com elé?

É sabido que na maioria das empresas em angola principalmente nas empresas grandes, são necessários muitos corredores, intrigas, puxões de tapete, dormidas c o chefe, , para que se condiga uma promoção, um projecto aprovado, ou algo do gênero. Volta e meia ouvimos os nossos cotas a reclamarem deste tipo de situação. É muito frustrante você ver a pessoa que está acima de ti não ter nem metade da tua capacidade.

E quanto a um jovem abrir a sua própria empresa? É tarefa fácil? Não é necessário uma boa influencia? No Brasil é muito comum se ver jovens recém formados abrirem empresas, pequenas fábricas, escritórios, consultórios, e coisas do gênero. Em Blumenau, onde moro, vários jovens formados da minha universidade, já tem o seu próprio negocio. E se são realmente bons, mal defendem a tese, já está uma Petrobras, ou uma globo atrás deles com contratos bem aliciantes. No nosso país (ainda) não é bem assim…

Imagine como é para um deputado ou membro de algum partido, vivenciar as fraudes que acontecem nas campanhas eleitorais. Uns começam a campanha mais cedo, os espaços na imprensa (assunto já abordado, e muito bem pelo Claudio) e tempos de antena não são iguais para todos, e no fim de tudo, ainda vês o teu partido ser extinto, por não atingir a percentagem mínima de votos.

O grande problema em angola é que nós somos muito fúteis. So pensamos em banalidades, como ter um jipe, e uma casa no alvalade. Por isso é que quando tens isto, as pessoas pensam que já estas bem d vida. (Ah, o fulano ta bem, lhe vi num jipi fod…!!) Pior é quando ainda nem tens isso. Muitos se agarram a riqueza dos pais e pensam que já são ricos! Mas na realidade inda não tem nada, e nem tem perspectivas para tal. Como diz o grande maya cool, “até mesmo do próprio pai, não se deve depender”. Mais cedo ou mais tarde os nossos pais se vão. (de acordo c a espectativa de vida em Angola, eles já se teriam ido)

De facto, temos que começar a nos preocupar seriamente no rumo que o país está a tomar. Com esta constituição, que representa o fim do estado democrático, só deus sabe onde iremos parar. É hora de nós começarmos a acordar do sono, e não nos focalizar nas banalidades, porque é exatamente esta a vontade dos do sistema!

Anúncios

~ por Paulo Sérgio em Março 2, 2010.

3 Respostas to “A vida não é um jipe!”

  1. A vida nao e msmo um jipe, e ainda bem que existem pessoas, e principlamente jovens como “nos” que vamos mudando o rumo da situacao do nosso pais.
    Gostei mt dos posts, e vamos keep up the gu work!
    BJ

    • prima? bom txi vé por aki! obrigado pelo comment, espero ke as mentalidades no nosso país mudem mesmo!
      gostast dos outros posts?
      beijinhos prima ***

  2. Uhmmm esse blog so me serviu pra tomar mesmo a decisao de ir pra rua, ja estava com a ideia e cada dia conheço mais gente e leio mais coisas que me façam dar o passo. Porque tambem estudo fora mas dentro de pouco tambem terei que passar pelos engarrafamentos de mais de 2 horas e os chefes que gostam de comer. hehehe epahh pensei e ri com o artigo, boa dinamica essa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: